sexta-feira, 6 de setembro de 2013

FUDER COM PLAGIADORA DESCARADA SAFADA

(Fu)der com a plagiadora descarada, safada?
(Der)ramar sua vergonha?

(Com) certeza, não a tem.

(Pla)giou, descaradamente, meus poemas em tercetos.
(Gi)rou todos que publiquei para plagiar.
(A)gora, penso, como processar uma pobre coitada?
(Do)ravante, seus derredores vão morrer de vergonha.
(Ra)meira da poesia, se faz a tal, mas pinta e borda 'poraí'.

(Des)mascarar uma 'dama' pobre, sem talento e doente ?
(Ca)so sério, quando penso que meu talento é de sobra...
(Ra)ríssimo e jorra de minhas entranhas, como água da terra.
(Da)ma de araque, não sabe tercetar, nem poetar...

(Sa)be apenas colocar palavras no papel e mudar as de poemas alheios...
(Fa)zer gambiarra com as palavras, isso sabe bem, inda tem a frase...
(Da)ma, acha a sua cama. Não deixe seu fedor na minha.

Google+ Followers