sábado, 14 de julho de 2012

BANANA




BANANA

- Inveja, és tu cruel com tuas gentes!
Não importa se inocentes,
Veste-te de mil caras, todas inclementes.

Do riso ao choro, presenteias,
Teces mil teias,
Acendes mil candeias.

Dobras-te em risos,
Da falta de sisos,
E de teus golpes concisos.

Quem vive de ti massacras.
Condenas a vias sacras
E a visão tu lacras.

Brincas tu de vai e vem,
Serves tu o almarjem;
Nos delírios abstraem.

Gritam ao vento,
Sem tino sem tento,
Distribuem podre alimento.

Mas, não te importas tu,
Se pombinha ou urubu.
Queres tu é nestas gentes rimar.

  
                   by Luna Di Primo
                  13jul2012

Postar um comentário

Google+ Followers