sexta-feira, 21 de junho de 2013

NO DIA A DIA - Monólogo


Cá entre nós
Cedo se vê a loucura
Circundando pessoas...
Coitada de suma...
Cuida da vida alheia e só fala besteira.

Ah, Maria, tem mais...
Ela é toda louca varrida...
Inventa coisas e sai falando
Ou, então, é a maior safada sem vergonha.
Unifica os outros ao seu modo de ser.

Sabe Maria, estive analisando...
Se os iguais se atraem
Sinal que quando se afastam
Somente se aproximaram
Supõe-se, ter acontecido a rejeição.

Assim, pode-se concluir que,
Essa história tem sentido.
Isso reafirma, também, que não existem más companhias.
Ou seja, ninguém leva ninguém para o mau caminho.
Uma pessoa só não vale nada quando seu caráter assim o é.

Agora, eu posso recapitular e dizer:
Essa criatura só achou a turma dela,
Isso é a mais pura verdade e,
Observo, ainda, que a dita consegue ser a mais abjeta de todos.
Uma mega besta solta por aí...

Ah, Maria, como a tal não tem nenhuma influência sobre os outros.
E por ser uma mula de insistente, já vem falando sozinha faz tempo.
Interessante ver o que sempre ouvimos:
O mal, por si mesmo, se destrói.
Ultimamente, os poucos a visitá-la, entram calados e saem mudos...









http://www.cabinda.prosaeverso.net/

Google+ Followers